• Home
  • Críticas
  • Crítica: Silo é a melhor série da Apple TV+ em 2023
Crítica: Silo é a melhor série da Apple TV+ em 2023
André Fonseca

Crítica: Silo é a melhor série da Apple TV+ em 2023

O título não deixa margem para manobra. As apostas de qualidade da Apple continuam e o ano já vai a meio, mas certamente que já estreou uma das melhores séries do ano (e a melhor da Apple TV+ até agora).

O mundo da ficção científica é duro e cada vez mais cruel para novas propostas, mas Silo conseguiu um feito raro nos últimos tempos: as reviews positivas dos críticos e a aprovação do público - e só por isso merece ser visto.

Num mundo do futuro, tóxico e em ruínas, milhares de pessoas vivem num gigantesco silo no subsolo. Após o seu xerife quebrar uma regra fundamental e residentes começarem a morrer misteriosamente, a engenheira Juliette começa a desvendar segredos chocantes e a verdade sobre o Silo.

O mistério é o movedor de toda a narrativa deste misterioso silo, que não sabemos porque existe, nem o que aconteceu lá fora para que 10 mil pessoas tenham de sobreviver debaixo da terra. Só sabemos que quem quer sair não pode voltar atrás.

Os dois primeiros episódios servem como uma bela introdução a este universo distópico, apresentando as personagens que vão levar a que Juliette se torne na xerife que vai tentar resolver os mistérios e os segredos escondidos no Silo.

Uma das grandes vantagens comparada com outras séries do mesmo género é não sabermos o que aconteceu à humanidade e o porquê de estarem debaixo da terra. Apenas sabemos que algo de muito estranho se passa no Silo e também lá fora.

O aspeto visual e a aesthetic criada dentro do universo estão feitos de forma irrepreensível. Desde as roupas das personagens ao próprio silo, tudo parece tão real que leva o espectador a entrar no silo sem nunca deixar o conforto do sofá.

Após todo o universo estar bem estabelecido, há claramente alguns episódios mais lentos do que outros - sobretudo os do meio. Ainda assim, nunca chegam para tirar a atenção do espectador, que está desejoso de saber mais a cada episódio.

Ao contrário de muitas séries, que arrastam o mistério durante os episódios (ou até temporadas), Silo consegue prender o espectador, sem nunca revelar muito, mas avançando sempre na narrativa.

O último episódio abre finalmente o jogo, mas sem ser uma goleada. Ficámos finalmente a perceber algumas pontas soltas da primeira temporada, como algumas mortes, mas também se abre o universo lá fora com a saída de Juliette.

A segunda temporada já está confirmada e ainda bem, porque a partir de aqui há imensas possibilidades a explorar, especialmente para quem não leu os livros. Que venham mais assim.

Nota: 9/10
Silo (5 de maio de 2023)
Duração: Dez episódios
Realização: Adam Bernstein, Morten Tyldum, Bert, Bertie e David Semel
Argumento: Lekethia Dalcoe, Hugh Howey e Jeffery Wang
Elenco: Rebecca Ferguson, Common, Tim Robbins, Harriet Walter, Avi Nash, Chinaza Uche e Iain Glen

André Fonseca profile image André Fonseca
Publicado a
Críticas