• Home
  • Críticas
  • Fundação: a grande proposta de ficção científica da Apple que ainda não assentou
Fundação: a grande proposta de ficção científica da Apple que ainda não assentou
André Fonseca

Fundação: a grande proposta de ficção científica da Apple que ainda não assentou

O mundo da ficção científica é duro e bastante explorado, especialmente se falarmos de adaptações ao pequeno e grande ecrã. Num género já algo saturado, é difícil captar a atenção do público, mas Fundação conseguiu certamente isso (nem que seja pelo elevado orçamento)

A série estreou no final de 2021 e foi prontamente renovada para mais uma leva de episódios, que estream a 14 de julho deste ano. A espera pode ser benéfica para a qualidade dos novos capítulos, mas também pode ser penalizadora para os espetadores num panorama cada vez mais saturado.

Ainda assim, não é disso que estamos a falar, mas sim da qualidade dos dez primeiros episódios. Confesso que fui sem qualquer expetativas até porque não tinha lido os livros, e fiquei dividido.

Por um lado, o aspeto visual desta série é, sem dúvida, o melhor. As cores, os cenários e as roupas estão on point. Por outro lado, a história é realmente confusa para quem não está dentro do universo e pode ser um entrave aos espetadores.

No entanto, não sou de desistir facilmente (conto com a mão as séries que deixei de ver após ver mais do que 2/3 episódios). E, o lançamento semanal ajudou a tornar Fundação de mais fácil digestão.

Baseada nos premiados romances de Isaac Asimov, Fundação retrata um grupo de exilados na sua monumental jornada para salvar a humanidade e reconstruir a civilização em plena queda do Império Galáctico.

A nível da narrativa há um caminho que é mais interessante. Ao contrário dos livros, na série há três invés de apenas um imperador. E, ainda que possa parecer confuso, os três imperadores acrescentam uma camada de continuidade e transcendência à história de Fundação.

Ainda assim, a história de amor à la Romeu e Julieta do jovem imperador parece que foi simplesmente para encher tempo. As implicações do resultado final são quase nulas.

Embora se perceba que é uma história extensa, quer a nível do universo bem como temporal, não há propriamente tempo para criar uma ligação a algumas personagens - e este é o maior problema deste tipo de histórias.

O potencial está, sem dúvida, lá. É preciso criar as bases e um caminho claro para deixar esta Fundação assentar. A segunda temporada vai ter que elevar a fasquia, porque só o visual não chega.

Nota: 5/10
Foundation (21 de setembro de 2021)
Duração: 1ª temporada com dez episódios
Realização: Alex Graves, Roxann Dawson, Jennifer Phang, Andrew Bernstein, David S. Goyer e Rupert Sanders
Argumento: David S. Goyer, Isaac Asimov e Josh Friedman
Elenco: Lou Llobell, Jared Harris, Lee Pace, Leah Harvey Laura Birn e Terrence Mann

André Fonseca profile image André Fonseca
Publicado a
Críticas