• Home
  • Críticas
  • "Ghosted": o filme que podia desaparecer do catálago da Apple TV+
"Ghosted": o filme que podia desaparecer do catálago da Apple TV+
André Fonseca

"Ghosted": o filme que podia desaparecer do catálago da Apple TV+

Sabem quando vêm uma receita no TikTok ou no Instagram Reels, vão ao supermercado comprar os ingredientes, seguem tudo à linha e mesmo assim o resultado final não é aquilo que esperam? Foi exatamente assim que me senti após ver Ghosted.

Tinha tudo para correr bem - um elenco de luxo, liderado por Ana de Armas e Chris Evans, participações especiais de alguns dos atores americanos mais famosos dos últimos anos, argumentistas de sucesso e uma história minimamente original - mas é um grande tiro ao lado.

Cada vez mais utilizado pela Gen-Z, o termo Ghosted está associado a alguém que deixa de responder a mensagens ou telefonemas, sem qualquer explicação aparente. E, é exatamente isso que acontece no filme e provavelmente com muitos espetadores que ficaram com vontade de fingir que não viram o filme.

Cole, interpretado por Chris Evans, apaixona-se rapidamente pela enigmática Sadie, a personagem de Ana de Armas. Até aqui, tudo bem - uma história semelhante a qualquer outra comédia romântica.

Mas, ao contrário de muitas comédias românticas a dupla principal não parece ter qualquer química. As interações do primeiro encontro são demasiado forçadas e os atores tentam convencer o público de que há realmente há algo ali, sem qualquer sucesso diga-se.

Embora o público não tenha visto a química, Cole acredita que está perante a sua alma gémea e após enviar inúmeras mensagens (e ser ignorado) decide fazer um gesto romântico e viajar até Londres para surpreender Sadie. Nada assustador.

Se até aqui não estava convencido, tudo piora após Cole ser raptado por um grupo de vilões e ser salvo por Sadie, que afinal é uma espia. Esta é a única parte do filme relativamente inovadora, trocando os papéis de género, mas nem isso é bem explorado.

A partir deste momento, consegui perceber até onde é que o filme me ia levar: literalmente a lado nenhum. As sequências de ação não são más, mas novamente tudo parece demasiado forçado. Nem as aparições especiais de nomes como Anthony Mackie, Sebastian Stan ou Ryan Reynolds são interessantes. Antes pelo contrário.

Não é o pior filme que já vi. Serve para uma tarde de domingo em família passada em frente à televisão. Não precisas de estar a prestar grande atenção ao que se está a passar.

Ghosted é a prova de que nem os melhores atores do mundo podem fazer limonada sem os limões certos.

Nota: 3/10
Ghosted (Estados Unidos, 21 de abril de 2023 [streaming])
Duração: 1 h 56min
Realização: Dexter Fletcher
Argumento: Rhett Reese, Paul Wernic e Chris McKenna
Elenco: Chris Evans, Ana de Armas, Adrien Brody, Mike Moh, Tate Donovan, Amy Sedaris

André Fonseca profile image André Fonseca
Publicado a
Críticas