Ted Lasso: o final que todos merecíamos
André Fonseca

Ted Lasso: o final que todos merecíamos

Foi, provavelmente, um dos primeiros grandes sucessos do serviço de streaming da Apple TV+. Com um elenco de luxo, mas sem grandes orçamentos, Ted Lasso é a prova de que não é preciso muito para ter sucesso: basta uma bela história.

O plano dos criadores sempre foi um arco de três temporadas e foi exatamente isso que conseguimos. Embora ainda não seja oficial o final (ninguém o chegou a confirmar), a terceira temporada termina de uma forma tão perfeita que a continuação parece um crime, mas já lá vamos.

A muita aguardada terceira temporada chega a meio de março, após o último episódio da segunda temporada ter ido para o ar em outubro de 2021. O regresso chega, no entanto, de forma diferente.

Com 12 episódios de uma duração relativamente mais elevada (alguns episódios chegaram a durar mais do que uma hora) e o regresso de AFC Richmond à Premier League, a receita para o final estava lançada.

Após duas temporadas de elevada qualidade, que colocam Ted Lasso no patamar das melhores séries dos últimos anos, a terceira temporada é talvez a mais fraca desta história.

Os episódios longos, ao contrário dos habituais 30 minutos, fazem com que a série se arraste um pouco mais do que devia. Ainda assim, o lançamento semanal ajudou à digestão desta nova leva de episódios.

Após uma temporada de sucesso e consecutiva subida à primeira liga do futebol inglês, Ted e a equipa têm um grande desafio pela frente. Com alguns altos e baixos, como não poderia deixar de ser, o AFC Richmond continua a ser o protagonista sobre o qual tudo gira, mas não está sozinho.

Tal como nas anteriores temporadas, personagens como Ted, Rebecca, Jamie ou Keeley são as principais figuras deste mundo fictício. As relações, as suas preocupações e trabalhos são um dos motores da série.

Abordando assuntos sérios, como a discriminação sexual ou a exposição de conteúdos íntimos nas redes sociais, a terceira temporada consegue novamente fazer com que os espectadores percebam que infelizmente ainda há quem sofra destes problemas nos dias atuais.

Ainda assim, há alguns arcos que parecem não fazer muito sentido, como o facto de os criadores terem investido três temporadas no triângulo amoroso de Keeley, Roy e Jamie (ou até a relação de Keeley com a sua chefe), para não resultar em nada. Mas, a vida é mesmo assim: cheia de surpresas.

O último episódio é, sem sombra de dúvidas, o melhor da temporada e um dos melhores da série.  Tudo nos levou até aqui e o final não desilude nem os fãs mais esquisitos.

Ted deixa o Richmond e regressa a casa para cuidar do filho, Rebecca encontra finalmente o amor e Roy passa a ser o treinador da equipa, que vai jogar na Champions na próxima temporada

Não é o final perfeito, até porque apesar de parecer que tudo ia levar à vitória do AFC Richmond, não é exatamente isso que acontece. Mas, na vida nada é perfeito e é mesmo isso que Ted Lasso quer mostrar.

A história deste clube está contada. E, embora hajam algumas pontas soltas, para uma quarta temporada ou um spin-off, não faz certamente falta. Obrigado, Richmond.

Nota: 9/10
Ted Lasso (15 de março de 2021)
Duração: 3ª temporada com doze episódios
Realização: Declan Lowney, M.J. Delaney, Matt Lipsey, Erica Dunton e Tom Marshall
Argumento: Brendan Hunt, Joe Kelly, Bill Lawrence e Jason Sudeikis
Elenco: Jason Sudeikis, Brett Goldstein, Brendan Hunt, Nick Mohammed, Hannah Waddingham, Phil Dunster e Juno Temple

André Fonseca profile image André Fonseca
Publicado a
Críticas